5 de fev de 2007

Ainda duvidando.


Duvidarei de toda fé existente em qualquer um que me proclame o Absoluto da Verdade.

Duvidando de TODOS os que dizem saber o Absoluto da Verdade e de como É a Verdade estarei em um nível, entretanto, nesse momento de meu itinerário espiritual, sendo solipsista.

Só terei certeza de meu SER, isto é, de meu ser pensante (pois, sempre duvido desse objeto que é meu corpo; a alma, diz Descartes nesse sentido, "é mais fácil de ser conhecida que o corpo").

E pelo aprofundamento da minha solidão que escaparei dessa solidão de Verdades alimentadas pelo COLETIVO, de fé imposta e ensinada sem revelação pessoal.Eis o fantasma do gênio maligno exorcizado.

Se Deus é perfeito, ele não pode ter querido enganar-me e todas as minhas idéias claras e distintas são garantidas pela veracidade divina.

Compreenda-se que, para tanto, não tenho o direito de guiar-me pelos sentidos (cujas mensagens permanecem confusas e que só têm um valor de sinal para os instintos do ser vivo).

Só posso crer no que me é claro e distinto (por exemplo: na matéria, o que existe verdadeiramente é o que é claramente pensável, isto é, a extensão e o movimento).

Eu penso existo e existindo dúvido pensando. (que viagem).

Mas o pensamento gera dúvida, que gera questionamentos que geram NOVOS pensamentos.Eu penso existo e existindo dúvido pensando. (que viagem).

Mas o pensamento gera dúvida, que gera questionamentos que geram NOVOS pensamentos.

Minha dúvida nesse ponto me fez pensar em coisas NOVAS (inspirações)

Nenhum comentário:

Leia também...

2leep.com