29 de jan de 2009

A Generalização do Pecado

Não concordo com a centralização-generalização-banalização "DO QUE É PECADO”. Creio que cada um deve ser tratado no erro individualmente e as pessoas que regram o pecado e o generalizam não dão o tratamento correto e antes de tudo só colocam medos e neuras. Até o ponto que sufocam e frustram os que prentendiam estar na graça.

O melhor meio seria trazer o questionamento e a reflexão para cada individuo, para que ele se sentisse inspirado e não marginalizado pelo peso e neuras dos apontamentos e assim ser só mais uma estatística dentro ou fora dos meios igrejeiros.

É como se tivéssemos uma pílula mágica para todas as doenças e realmente não temos.
Não há mágica na graça de Cristo existe sim um Deus pessoal que trata individualmente e que se importa com cada individuo.

Creio piamente na conduta boa de forma natural e que essa conduta só verdadeiramente pode ser adquirida através da aspiração pela graça que inspira (sic). E não por apontamentos e constatações de um lado hiperconservador que aprendeu o que é pecado não pela vivência e frustrações de suas experiências individuais, mas que aprendeu a somente decorar o que é errada através de uma herdada lição dada e repetida ao excesso até mesmo de forma banal e sem nenhum olhar ao individuo.

O pecado não deve ser observado simplesmente por ser pecado, mas por aquilo que ele realiza de injustiça. Viver a graça não é cumprir uma lei fielmente ou então que significa subdividi-la em observâncias minuciosas, criando uma burocracia escravizante; significa isto sim, buscar nela inspiração para a justiça e a misericórdia, a fim de que venhamos a ter uma vida diferente e inspirada pela fraternidade.

4 comentários:

30 e poucos anos. disse...

Aqui se faz, aqui se paga !!!

Thiago Mendanha disse...

Me lembrei do trecho de um texto que escrevi:

"Quero ser livre para pecar! E da mesma maneira não pecar por entender que não me convém. Mas, se o desejo do pecado ronda a minha mente e não peco por causa da pressão de ter que me consagrar no ministério da "i"greja, que pobre que sou. Porque ainda não seria livre do pecado, mesmo não o praticando... Quero aprender a conduzir meu estilo de vida como resposta de gratidão à aceitação e perdão de Cristo, não como regras e proibições eclesiásticas que não tem efeito nenhum contra o pecado."

texto completo Desconstrução

Denis Cambalhota disse...

Parabens pelo artigo e claro por todo o Blog.

No mais estou acompanhando...

QUE DEUS ESTEJA

Éverton Vidal disse...

Um dos melhores textos sobre pecado que já li.

Leia também...

2leep.com