27 de fev de 2009

Cristo, O Herege !!!

A palavra heresia origina-se do grego hairesis e denota doutrina contrária ao que foi definido pela cúpula de uma instituição religiosa. Em grego, hairetikis significa “o que escolhe”. A heresia é, então, uma ruptura com o dominante. O “escolher” é o grande pecado do herege, ao mesmo tempo em que pode se constituir numa legítima denúncia da corrupção e dos desmandos dos “homens de Deus”.

Então sendo assim, herege é aquele que professa uma doutrina contrária aos dogmas da Igreja.

Em “Religião e Repressão” Rubens Alves diz:


"Heresia e ortodoxia são palavras criadas pelos ortodoxos. Mas, como já indicamos antes, ortodoxos são aqueles que tiveram o poder para impor as suas idéias.

Heresia e ortodoxia têm muito pouco a ver com falsidade e verdade. São formas transversas de indicar perdedores e ganhadores. Ora, não se conhece nenhuma situação em que os ganhadores tivessem tido qualquer interesse em abrir mão do poder. O poder deseja sempre perpetuar-se. E esta perpetuação exige também a perpetuação das idéias que dão aos poderosos a sua aura divina.
Vitória é interpretada como verdade, e a derrota é idêntica à falsidade.

A última palavra sobre a verdade revelada, portanto, não é a voz desta verdade, mas é a voz que, pelo seu poder político, é capaz de silenciar os dissidentes e declarar a questão como encerrada."



Quando homens questionaram e duvidaram da ortodoxia da verdade vigente foram chamados de hereges.

Cristo segundo os monopolistas da verdade que faziam vigorar era um herege por que questionava e não se curvava à verdade vigente que Ele sabia que não era verdade.

O que não pode mudar por comodismo da ortodoxia é uma verdade caduca. Caduca por que é regra e lei sendo que na verdade a verdade (sic) é libertária e militante contra toda verdade imposta.

O evangelho apresenta está verdade militante que combate o bom combate e que muda toda uma verdade que foi imposta para a comodidade de poucos.

Cristo é herege no melhor sentido da palavra por que muda meias verdades que nunca serão uma verdade.

Toda a meia verdade que não é uma única verdade e que é a ortodoxia de uma religião caduca deve ser combatida com a heresia da única verdade que liberta. A heresia é libertária quando questiona as regras da fé vigente desregrando a fé de graça pela graça.

As regras das meias verdades estão fora da verdade por que os que fizeram tais regras escolheram as suas vaidades como verdade, sendo assim transcorrendo uma corrente de tornar aquilo que eram comuns a si mesmos como algo comum a todos como se o “si para si” fosse à verdade de todos.


As meias verdade dominam pela concretização dos desejos de uma longa lista histórica de líderes religiosos que denota antes mesmo do próprio Cristo.

E a “desconcretização” (sic) pela verdade, dentro de uma argumentação militante é impor-se contra muros de uma valorização da verdade que por ser meia é caduca, mentirosa e ortodoxa.


Lembremo-nos que Cristo questionou e militou apontando contra as meias verdades caducas dos ortodoxos de sua época foi tido como um herege, e ainda houve tantos outros exemplos de bons hereges encontrados através da história.


11 comentários:

Renata disse...

Mas os cismas da Igreja aconteceram muito antes de Cristo, que se perpetua como líder alguns séculos após a sua morte. Ele fpoi um cidadão herege comum, como todos os que ousaram desafiar "o governo"
O Governo é a Igreja!

Edi disse...

A maior heresia é a prática do amor...

O resto é modinha :P

Cafeína disse...

gosto muito da idéia de Cristo como herege...sabe lion, toda vez que leio um texto aqui, eu tenho vontade de copiar e colar e dizer que eu que fiz!!! rsrsrs...vc é ótimo e fala justamente do assunto que mais gosto...enfim, sobre seu comentário lá no Bebendo, bem que tu podia escrever sobre sexo cristão também né? hehehe
bjo grande

Lion of Zion disse...

Cafeína depois eu escrevo p/ você e deixo p/ vc decidir se posta no seu blog ou não.

Valdinei Gandra disse...

Olá meu caro, obrigado pela visita-comentário no meu blog e também pela postagem do meu artigo.Quanto ao texto gostaria de indicar um artigo relacionado do Elienai Cabral Junior: http://elienaijr.wordpress.com/2007/11/25/senhor-obrigado-pelo-herege/

Um grande abraço.

Valdinei Gandra
www.cafeteologico.com.br

prjulio disse...

A definição de heresia tá um pouco forçada.
Não é qualquer abobrinha que pode ser aceita só porque ela confronta o poder vigente.
Geralmente o poder vigente usa verdades para perpetuar-se. (Se é que entendi direito).

Jarson Brenner disse...

Todos cristaos sao hereges do judaismo, assim como Cristo o fundador :)

www.conphissoes.blogspot.com

Lion of Zion disse...

"Geralmente o poder vigente usa verdades para perpetuar-se. (Se é que entendi direito)."

O catolicismo da idade média era o poder vigente e convenhamos que não usava lá grandes verdades para se perpetuar.

O Protestantismo foi a heresia contra a ortodoxia do poder vigente ou não?!

Hoje o poder vigente está em grandes conglomerados eclesiásticos e para ser beeeeem sincero o que eles perpetuam com certeza não é verdade.

Pense nisso.

Abraço!

Lion of Zion disse...

O poder só é limpo quando se traduz em serviço.
Francisco de Juanes

prjulio disse...

Talvez eu não tenha entendido muito bem ou não foi exatamente na última frase que eu quis por ênfase.
Continuo enfatizando que "não é qualquer abobrinha que pode ser aceita só porque ela confronta o poder vigente" e que "até verdades podem ser falsamente usadas pelo poder vigente para perpetuar-se".
Mas, estando eu errado ou certo, não faço nenhum cavalo de batalha por isso, até porque o que me ocupa é o serviço e aqui tem muito maluco pra recuperar.
Gosto do seu blog mesmo discordando de algumas "heresias", rsrs.
Um abraço.

Patrick Moreira disse...

É engraçado o quanto as palavras podem admitir conotações diferentes. Quando a heresia nos convém, achamos o máximo ser herege e o conceito de heresia fica muito bonito.

Entretanto, quando alguém é herege em relação a nós, a conversa muda. Como foi dito no texto, a ortodoxia e a heresia são sempre decididos por conveniência.

Cristo ensinou, acima de tudo a sermos hereges de nós mesmos, do nosso EU. Ele não veio para mudar nenhuma ordem social, mas, sim, quem está por trás de tudo: o indivíduo.

Só discordo de um comentário de que Cristo fundou o cristianismo. Ele não fundou nada, até porque Jesus é a própria fundação. Ele veio muito mais para "desconstruir" o que construímos de errado do que criar algo diferente.

Pretendo colocar esse texto no meu blog, ok?
Qualquer coisa, é só avisar!
=D
Ótimo texto!

Leia também...

2leep.com