25 de fev de 2009

Eu Bebo Sim e Vou Vivendo

Um dos alicerces da moral evangélica é o não consumo do álcool, tanto que algumas igrejas proíbem em qualquer circunstancia o uso de bebidas alcoólicas.

Assim como sexo antes do casamento (que já falei aqui) o consumo do álcool pelos crentes é motivo de discussões até mais acaloradas mesmo entre aqueles que só consomem esporadicamente e em pequenas quantidades.

Eu particularmente me restrinjo do consumo quando estou acompanhado de uma pessoa que não convive bem com isso e não tem controle sobre o álcool, ou seja, um alcoólatra.

Aliás, alcoolismo é uma doença tratável e não são todos que desenvolvem o vício pelo álcool tomando uma cerveja ou um vinho junto de seus amigos.

Não há como negar que o vinho consumido pelos judeus era alcoólico tanto o vinho consumido na época do velho testamento pessando pelo período do Novo Testamento assim como o vinho consumido até hoje na região.

Na época de Jesus não existia somente o vinho, mas existia também o hidromel trazido pelos romanos, fermentados de romã, maçã entre outras frutas da estação que também eram bem populares entre o povo da época.

Dai bebida forte ao que está para perecer, e o vinho ao que está em amargura de espírito. Bebam e se esqueçam da sua pobreza, e da sua miséria não se lembrem mais. (Prov. 31:6-7)
E aquele dinheiro darás por tudo o que desejares, por bois, por ovelhas, por vinho, por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; comerás ali perante o Senhor teu Deus, e te regozijarás, tu e a tua casa. (Deut. 14:26)

Contudo ainda existem recomendações e cuidados para o uso e suas conseqüências.

"Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquenta!" (Isaías 5:11).
"Ai dos que são heróis para beber vinho e valentes para misturar bebida forte" (Isaías 5:22).
"Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro, misturando à bebida o seu furor, e que o embebeda para lhe contemplar as vergonhas! Serás farto de opróbrio em vez de honra; bebe tu também e exibe a tua incircuncisão; chegará a tua vez de tomares o cálice da mão direita do SENHOR, e ignomínia cairá sobre a tua glória" (Habacuque 2:15-16).

Tanto o álcool, o chocolate, a coca-cola ou qualquer outra coisa de nosso consumo tem para nós o problema do vicio, a falta de autarquia e o sofrimento que isso causa para si e para a própria família. Os versículos que estão mais acima não condenam o ato de beber, mas sim suas conseqüências pelo exagero e o vicio.

O vinho era consumido até como meio medicinal.

"Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades". (1 Timóteo 5:23).

Ou seja, se beber não dirija! E se Jesus tivesse nascido no Brasil hoje teria transformado a água em caipirinha! E tenho dito!

3 comentários:

Joshua disse...

Gostei do blog.

Mas acho essa discussão um pouco maluca, porque isso depende muito da interpretação de cada um.

Mesmo assim gostei do que li.

Abcs

Lion of Zion disse...

Não tem nada de confuso nisso tudo.

Os versos são claros. É só sair um pouco do senso comum.

Thiago Mendanha disse...

Fim de semana passado, meu primo e eu experimentamos duas brejas deliciosas: Bohemia Confraria e Bohemia Weiss... eita, nóis...

Leia também...

2leep.com