27 de set de 2007

Prosperidade de Quem? Minha? Ou de quem me pede Dinheiro?!?


Provérbios 23,4 Não te afadigues para te enriqueceres, evita aplicar a isso teu espírito.

Contra a exploração do homem pelo homem
Isaías 65:21-22

21. Serão construídas casas onde habitarão, serão plantadas vinhas cujos frutos comerão.
22. Não mais se construirá para que outro se instale; não mais se plantará para que outro se alimente. Os filhos de meu povo durarão tanto quanto as árvores, e meus eleitos gozarão do trabalho de suas mãos.

Redistribuição das riquezas
Isaías 49,88. Eis o que diz o Senhor: no tempo da graça eu te atenderei, no dia da salvação eu te socorrerei, (Eu te formei e designei para fazer a aliança com os povos), para restaurar o país e distribuir as heranças /propriedades) devastadas,

As palavras Abaixo foram ditas por um "Bispo" da Sara Nossa Terra adpeto da teologia da prosperidade:
"... se Jesus é rei eu também sou, um rei não se prostra diante
de outro rei. Um rei olha dentro dos olhos do outro rei. Eu não me prosto diante
de Jesus mas olho dentro dos olhos dele...." (Bispo Wesley Bandeira)."

Deus morreu, O Deus do Velho Testamento não é o mesmo do Novo
Testamento. O "Deus" do Velho Testamento não sabia lidar com o homem, era duro e
cruel, gostava de leis, então cometeu suicídio e ressucitou como um "Deus" de
amor e misericóridia que enviou seu filho para salvar o mundo. Deus aprendeu com
seus próprios erros e morreu para não mais comete-los". (Bispo Wesley Bandeira)
E viva a prosperidade? De quem ? E qual era a prosperidade de Cristo? Não ter onde reclinar a cabeça. Ou ter uma mansão dizendo que seu Pai é dono do ouro e da prata?
"O protestantismo acaba tornando-se uma religião de elite. Alicia
pessoas menos favorecidas e injetam grande dose de ganância. Tornando-os desejos
de serem ricamente iguais aos seus exemplos de vitória capitalista."

Weber mostrou que certos tipos de Protestantismo (em especial o Calvinismo) favoreciam o comportamento econômico racional e que a vida terrena (em contraste com a vida "eterna") recebeu um significado espiritual e moral positivo. O Calvinismo trouxe a idéia de que as habilidades humanas (música, comércio etc.) deveriam ser percebidas como dádiva divina e por isso incentivadas. Este resultado não era o fim daquelas idéias religiosas, mas antes um subproduto ("byproduct") ou efeito lateral. A lógica inerente destas novas doutrinas teológicas e as deduções que se lhe podem retirar, quer direta ou indiretamente, encorajam o planejamento e a abnegação ascética em prol do ganho econômico.
Contudo a fomentação por riquezas só faz o protestantismo tomar o caráter. Um caráter selvagem onde não se há limites para ter aquilo que seus lideres ostentam.


Ofertar até aquilo que não se tem é prova de fé e conduta obrigatória para se ter mais. Não se oferta ou dizima simplesmente com o “propósito do coração”, ou seja, “com amor”.

Ao invés da vertente amorosa é o instinto capitalista que faz o individuo vislumbrar algo além.

Mas se os lideres ostentam, eles ostentam coisas do que arrecadaram do povo. Isso chega a ser óbvio, mas quem vai contestar a tal “autoridade”?







Nenhum comentário:

Leia também...

2leep.com