14 de mai de 2010

Eu Não Sou Cristão!

Por Marco Alcantara

Quando declaro que não sou cristão, quem ouve automaticamente tira de mim toda bondade e fé estereotipadas de um homem que tem religião. E se digo sim, sou cristão o olhar que atraio é um olhar carregado da confiança trazida por anos de ‘confiança imposta’ na história da humanidade.

E se me declarar pertencente ao cristianismo, sendo cristão será que realmente isto me torna verdadeiramente uma pessoa inserida na graça de Cristo?

Mas carregar o rótulo “cristão” é um problema. Quando eu digo "EU não sou cristão" eu também digo “Olá eu sou o Marco" tenho uma identidade que está acima de qualquer religião e isso é autêntico.

E com isso pretendo te deixar além de um ponto de interrogação, um convite ao convívio e conhecimento da minha pessoa e revelação dos meus intentos gerados por minha consciência individual.

Cristão é um título que me dão e realmente eu não gosto de usá-lo como carta de referência, slogan, marketing de uma religião ou promessa de que sou realmente uma pessoa boa.

O cristianismo é feito e constituído por pessoas e nisso ele é falível, como religião, e em outros segmentos como doutrina. Falibilidade esta comprovada pela história das pessoas que constituíam o cristianismo e falibilidade esta comprovada hoje por nossos próprios defeitos e tendências que temos como cristãos hoje. E isso é extremamente natural.

O Cristo é infalível, não duvido disso, mas o cristianismo que não é o próprio Cristo e sim a prática interpretativa das pessoas referente aos ensinamentos Dele, (que se observar em muitos momentos foge aos mandamentos Dele) é completamente passível de erros.


O cristianismo hoje em um contexto generalizado, não segue a Cristo!

E não quero estar inserido neste contexto generalizado e falido.
Toda definição do que eu sou ou do que você é de onde vem?
Se eu me declarar cristão eu sou alguém melhor?
E se eu declarar que sou nada, realmente nada que se enquadre a estes contextos e grupos, eu realmente não terei nenhuma identidade?
Ser eu o Marco já não basta?!

Eu tenho mesmo que ser conhecido pelo grupo que estou inserido? Mesmo que este grupo não diga tudo o que sou ?

Eu creio que acima do cristianismo com sua liturgia, dogmas e regras básicas de comportamento existe um ser único que se apresenta verdadeiramente a um Deus pessoal que sabe olhar o indivíduo e não somente o grupo.


Ou será que este Deus é tão injusto assim que basta a pessoa ter o status quo de cristão para ser alguém verdadeiro?

Quando se fala em consciência pessoal muita gente torce o nariz por que já está condicionada a viver aquilo que aprendeu e que repetidamente toma como ação sem ao menos ter conhecimento das próprias motivações e de seus “porquês”.

Age de forma politicamente correta, mas o politicamente correto é falso, fraco e não tem certeza por si mesmo dos seus atos.

Ou seja, está pessoa vive se anulando para viver o que outros dizem ser certo e por ai não há espírito e muito menos verdade.

Mas quantos já não lhe disseram "Ora o cristão deve agir assim ou assado"?

Ora, se existe um andar no espírito existe então uma consciência espiritual e se existe tal consciência em uma pessoa por que outra pessoa que se diz “cristã há mais tempo” tem que dizer o que devemos fazer?

E se adotarmos o que nos foi dito como verdade logo dirá a outros, o que é verdade usando o título de cristão.

Então a consciência pessoal será nula e o que existirá é somente uma tradição oral que será ditada pelo senso comum.

Paulo antes de se apontado como cristão foi Paulo, Madre Tereza antes de ser apontada cristã foi Tereza e estes são dois exemplos de pessoas que foram conhecidas por seus nomes por serem autênticas.

O autêntico é maior, é verdadeiro.

Ser você mesmo antes de ser o que o título apresenta é se apresentar de forma única e marcar história no mundo.

Não quero receber os tapinhas nas costas daqueles que me tomam como irmão pelo título, mas não sabem nem o que realmente aspiro para comigo e com as outras pessoas e o mundo.

E o que há de verdadeiro nisso?

O que há de verdade em ser empurrado pela maré?

Por isso repito prefiro ser o que EU SOU.

Nota: Republicação do texto de 2008.

25 comentários:

Kelly Christi disse...

A religião, o cristianismo enfim, usa a biblia em prol dos seus proprios interesses, não pelo fato de amarem á Cristo, isso é triste, mas é o que acontece...
bela postagem

bjs

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

Andreia_Kai disse...

Concordo em número, gênero e grau. Parece que dizer ser "cristão" é selo de "boa pessoa". Nem sempre isso é verdade. Muitos ateus dão de 10 a 0 em cristãos quando se refere a bondade, respeito e generosidade. Não podemos esquecer também que o cristianismo é marcado por uma história de lutas, sangue e tortura. Todas elas praticadas por àqueles que diziam ser cristãos.

Respeito todas as religiões, mas cada índividuo deve ser visto como é e não o que é. Queria muito que os jogadores do Santos pensasse assim, ao invés de recusar ver crianças carentes por ser um lar espírita.

degaragem disse...

Cara, as palavras estão bem colocadas, a tua reclamação foi bem entendida, tipo.. eu concordo contigo em quase todos os quesitos, mas nem sempre somos rotulados por causa da religião

B. disse...

conheço muitos cristãos que julgas as pessoas simplesmente por não seram cristãs..
isso é horrível, pois as pessoas deveriam se importar com quem somos e não com a religião que seguimos. trite, mas é verdade, as pessoas ainda fazem esse tipo de coisa.

gostei bvastante do post, do blog, terei o prazer de acompanhá-lo,
beijo.

Bebel Lima disse...

CADA UM SEGUE O SEU CORAÇÃO E NINGUEM PODE INTERFERIR NAS ESCOLHAS
" AMEI SEU BLOG BJUS
VISITA:
http://www.bebellima7.blogspot.com/

Érica disse...

Concordo que devemos ser nós mesmos e o que somos deve estar acima de qualquer rótulo. Muitos se escondem por detrás do nome de cristão para conquistar a confiança de outros, mas a verdadeira confiança a conquistamos sendo verdadeiros e autênticos em tudo que fazemos.

Muito bem escrito o seu texto.

Regina Bolico disse...

Oi Marco!
Obrigada pelo teu comentário no meu blog.
O teu blog aborda os assuntos com muita profundidade. Você está de parabéns.
Um abraço!

Eurico disse...

Isso, Regina, profundidade. Essa é a marca deste blogue. Aliás, profundidade e sinceridade. Além disso, as palavras nos passam uma coisa genuína, autêntica. Marco é um ser humano que se questiona, e põe no seu blogue essas questões que tb são nossas. Sob esse aspecto, Marco, tb não sou cristão. Sonho com o dia em que o "amai-vos" supere os rótulos e as instituições e eteja em todos os recantos, em todas as consciências. Esse é um sonho cristão? Não sei. Mas é o meu sonho.

Abraço fraterno.

minimaniaf1 disse...

Não poderia estar mais certo. Eu também concordo que ter uma religião não torna a pessoa isenta, insuspeitável. É ridículo o que tentam fazer com a gente, convencer de que a fé pela fé salva, ou que você tem que adotar certas práticas esdrúxulas para ser aceito no paraíso

OGROLÂNDIA disse...

o ideal seria que a atitude de todo o ser humano com o outro fosse orientada apenas pela intenção de provocar o bem e evitar o mal. o respeito ao outro deveria prevalecer, ao invés da religião.

Lazaro Costa disse...

Marcos você seguiu o meu blog, e eu estou seguindo o seu, o seu blog é muito interessante!!!!

O Pastor disse...

Se ser cristao é ser religioso, entao...

EU TAMBEM NAO SOU CRISTAO!!!

Ah, já estou seguindo o blog, muito legal.

Zé Luís disse...

Saudações:

Texto polêmico, não?

Já o seguia a algum tempo, e sempre passo por aqui para dar uma "sapeada". Gostei muito deste template.

Um abraço
Zé Luís, editor do Cristão Confuso

Rev. Eugênio DelChristi disse...

Estimado Marcos! Realmente, se formos seres Humanos de verdade, no sentido amplo da palavra, também seremos verdadeiros Cristãos, também no verdadeiro sentido da palavra.
Estou seguindo o seu Blog e vou colocá-lo em meus "Blogs Interessantes". Paz
http://www.reverendoeugenio.blogspot.com/

Inez disse...

Adorei seu texto e concordo plenamente.
Tem gente que acha que somente quem carrega o título de cristão pertencente a uma determinada religião é que está salvo.
Não acredito em religiões, acredito em um Deus Supremo que não exige religião, não pede títulos.

Roberto Falbo disse...

A paz seja contigo meu irmão Marcos!
Carissimo, realmente estamos passando por tempos dificieis e doloso, a crisede identidade e como o apostolo Tiago diz: aquele que olha no espelho e contempla a si mesmo logo vai e esquece quem realmente é, seria bom olharmos no espelho e conseguissemos ver uma nova criatura melhor do que isso ver Cristo por tras nos olhando.
Bom parabéns pelo louvavel trabalho que o irmão desenvolve por aqui, e muito obrigado pelo convite, mas sempre que é possivel eu passo por aqui, e queria te agradecer também por divulgar o blog de minha amada aqui em Seus espaço, http://crislainemeireles.blogspot.com/, meu irmão paz e graça seja contigo e familia!

Wy disse...

Concordo plenamente com vc. Acima de tudo, eu sou eu, sem rótulos.
Esse texto me fez lembrar uma entrevista de emprego que tive há poucos dias. A mulher perguntou qual era minha religião e eu disse que não tinha, aí ela logo "mas então você não acredita em deus?", tive que explicar pra ela que pra acreditar não precisa seguir nenhuma religião. Eu acredito por mim mesmo.

Acabei sem o emprego. rs

Guilherme Cristofani disse...

Olá

Eu sou cristão e acho que a vida social sem categorias identitárias seria impossível. As pessoas precisam se declarar cristãs, atéias, estudantes, cientistas, mães, primos, cidadãos, usuários de substâncias controladas para fins recreativos e quaisquer outras categorias que elas conseguirem inventar pois isso faz com que elas sejam algo.

Eu entendo o seu argumento de que esse "passaporte de bom-moço" não cola mais... mas vivemos em um tempo em que todas as identidaes sozinhas não dão mais conta de explicar quem somos. Havia uma época em que se declarar cristão era o suficiente para dizer tudo sobre alguém, hoje não é assim... primeiro a gente começa com nosso nome (que precisa de um sobrenome, pelo menos), nossa idade, gênero, classe social, raça, orientação sexual, nacionalidade, posição no mercado, projetos de vida, hábitos de consumo, costumes, particularidades regionais.... não há como esperar dos cristãos tudo isso, assim como não dá pra esperar dos socialistas um grupo de pessoas que leram e que levam a sério a teoria social crítica. Infelizmente acho que ser só um nome não é o suficiente, até pq nesse mundo flúido e permeado por gerúndio já não somos, estamos sendo alguém.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Oi mano, eu também não sou cristão e nem Jesus Cristo o é. Excelente texto. Valeu

Thiago Rodrigo. disse...

Aprecio a sua coragem ao fazer uma declaração tão forte.

Entendi plenamente o que você quis dizer, desassociando a religião que mata, da vida cristã genuína que nos vivifica.

Sempre que vou escrever coisas polêmicas desse tipo eu oro, penso em como falar sem que as minhas palavras possam ser usadas para justificar o distanciamento entre as pessoas e Deus.

Acho que nós não podemos fugir do rótulo de "cristãos", alegando que cremos que a religiãonão salva ninguém. Realmente, a RELIGIÃO não salva ninguém, mas ser cristão significa, ou deveria significar, termos o caráter de Cristo, sermos seguidores e discípulos de Cristo... e digo mais: se só há um Caminho para a Salvação, e esse Caminho é Jesus, então não podemos fugir mesmo do rótulo de cristãos.

Tá lá em João 14:6, "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim."

Então o conselho que eu dou é: não diga que é Cristão, mas, em verdade, viva como um cristão. E não tome os "cristãos mascarados" como referência, use apenas Jesus como referência.

Graça e paz vos sejam multiplicadas no pleno conhecimento de Deus e de Jesus nosso Senhor!

Marco Alcantara disse...

Não existe coragem no post existe sinceridade, verdade e comprometimento com estas coisas.

Não existe polêmicas por que não estou mentindo e não confessando meias verdades.

Só existe polêmica se trocamos a verdades por milindres e bajulaquices.

Quem precisa de um rótulo é o mesmo que se classifica na adoração.

É o mesmo que impõe regras e transforma a graça em desgraça é mesmo que cria teologias que barganham com Deus.

Quem precisa de um rótulo para se sustentar é o mesmo que perdeu sua essência e o mesmo que deixou o bom vinho virar vinagre.

Quem precisa de rótulos é o mesmo que está com a cara pintada e os ossos podres por dentro.

Existe liberdade para SER o QUE SOU assim como Deus É.

Éverton Vidal Azevedo disse...

Devemos ter muito cuidado com os rótulos. Com qualquer rótulo. É fato, eles encarceram, engaiolam.

Sim, eu utilizo muitos rótulos, inclusive o de "cristao", tudo depende da conversa ou/e do meu objetivo no diálogo. Mas, jamais utilizo um rótulo para me limitar ou para causar alguma separaçao.

Eu acho que aprendi tanto quando devo utilizar como quando devo calar sobre ele. E isso é liberdade.

O rótulo, especialmente o "cristao" sempre vai ser uma roupa apertada, uma coberta que deixa fora os pés. E vc acaba vivendo para o rótulo. É parecido com o sabado que Jesus criticou.

Eu aceito a "critica" do Marco. Acrescento que os discípulos nao buscaram o "rótulo" de cristao, ele veio "por acaso" e até pejorativamente, depois disso o rótulo contiinuou sendo utilizado pelos perseguidores e logo pelos perseguidos. Mas passaram-se séculos até que o "cristao" fosse utilizado como é hoje, como um fator limitador, separador, diminuidor, desumanizador, caricaturador, etc.

Éverton Vidal Azevedo disse...

Eu acho que o Thiago Rodrigo (seja bem-vindo!) deu um exemplo inadequado de um "bom" uso do rótulo cristao:

"mas ser cristão significa, ou deveria significar, termos o caráter de Cristo, sermos seguidores e discípulos de Cristo... e digo mais: se só há um Caminho para a Salvação, e esse Caminho é Jesus, então não podemos fugir mesmo do rótulo de cristãos."


Pra mim isso é um exemplo de limitaçao, separaçao e até de arrogância cristä.

Mas acertou aqui:

não diga que é Cristão, mas, em verdade, viva como um cristão.

repensando o cristianismo disse...

Olá caro amigo. mais uma vez quero te dar os parabéns. deus te inspira para construir belíssimos textos. tomei a liberdade e postei no meu blog e também em um forum de discussão.


Deêm uma olhada que tá bombando

um abraço.
http://rv.cnt.br/viewtopic.php?f=1&t=21179&p=419056#p419009

Sara Ester disse...

Que Deus o abençõe Marco!
Tenho olhado algumas postagens e continuarei olhando, está de parabéns!
Tenho tomado liberdade, também, para postar um texto de vocês, se é que se importem, mas com o total credito!

Leia também...

2leep.com