22 de out de 2007

Cão Bem-Aventurado

Eu lendo “O Arqueiro” livro do autor Bernard Cornwell me deparei com a ESTÓRIA de Thomas de Hookton e a personagem tinha um amuleto que era uma pata ressecada de cachorro que dizia ele ser uma relíquia do famoso santo São Guinefort. Descobri que na verdade São Guinefort tinha uma HISTÓRIA de verdade.

Existem dois santos relacionados a cachorros. E o outro não é um cachorro, mas uma pessoa com cabeça de cachorro! É São Cristovão.


- São Guinefort
No século XIII, o cão Guinefort certa vez foi deixado para tomar conta de um bebê. Quando o pai retornou ele viu sangue cobrindo o quarto e cercando o berço da criança. Guinefort estava deitado próximo ao berço, com sangue ao redor de sua boca. Imediatamente o pai, brutalmente, matou o cachorro. Repentinamente a criança começou a chorar, o pai entrou em pânico pois sabia que havia cometido um erro, e aproximando-se do berço ele viu que a criança estava ilesa. Abaixo do berço estava uma serpente morta que se dirigia ao bebê.

Guinefort havia salvado a vida da criança. Em sua homenagem, o pai enterrou seu corpo e (como é tradicional na cultura celta) e plantou árvore ao redor do tumulo em honra ao bravo animal. Os passantes locais e os habitantes do vilarejo começaram a fazer peregrinações ao túmulo para rezar ao martir canino.
Na verdade o Santo Cão nunca foi canonizado oficilmente mas é considerado um "santo do povo" e também um santo protetor das crianças. Até hoje existem honrarias, preces e peregrinações ao local onde se acha que está enterrado.



- São Cristovão ou São Christopher Cynephoros (padroeiro dos motoristas)



Representação do Século XIII


Cristovão foi um homem capturado pelos romanos de uma tribo Africana chamada Marmaritas. Ele foi transportado em 302 para servir no exército de Roma na Síria onde foi batizado pelo bispo refugiado Peter de Alexandria. Encorajado pelo bispo Peter, Cristovão começou seu trabalho missionário e foi martirizado em 9 Julho de 308.


A identificação de São Cristovão como membro dos Marmaritas é que levou a sua representação por muitos séculos como possuindo uma cabeça de cahorro , já que era uma lenda entre os romanos que o habitantes deste tribo possuiam tais caracteriticas. Os gregos bizantinos interpretaram a passagem literalmente e o começaram a retrata-lo como um homem com cabeça de cachorro. Hoje em dia ele é retratado como uma pessoa normal:





Curioso, não???


Um comentário:

Vince disse...

Um cachorro entende a mensagem de Cristo melhor que os crentes, pois não barganha: ama sem esperar nada em troca, simplesmente se doa.

Conhecia a estória do cachorro, mas não tinha nome e era um lobo no lugar da serpente. Muito bom. Não sabia que era celta.

Leia também...

2leep.com